Depoimento de uma Leonina: Paula Vieira

Image

Olá Maior do Estado, até minha estreia no campo muita coisa se passou…

 Tenho uma família enorme e apaixonada por futebol, como nem tudo é perfeito os meus tios optaram todos pelo outro lado do futebol cearense, sendo assim, minha casa é a única tricolor da família, meu avô, único homem da casa, influenciou todas as sete mulheres a paixão tricolor, então desde que me lembro sou torcedora do Fortaleza Esporte Clube!

Em uma das tradicionais brincadeiras de amigo secreto de fim de ano na escola ganhei meu primeiro manto sagrado e foi com ele que aos 10 anos em 2002 comemorei na sala de casa o acesso a serie A, inesquecível pra qualquer coração tricolor! Em 2003 todos os meus tios iam ao jogo FEC x Corinthians e claro que eles iam pra torcer pelo time paulista. Eu e minha prima não poderíamos perder a oportunidade de ir ao estádio pela primeira vez, mesmo indo pra torcida rival, nos submetemos a essa ‘’tortura’’ e lá fomos nós, o jogo pelo que eu lembro não foi muito bom pra o Fortaleza acho que perdermos de 2 x 1, mas a TUF fez AQUELA festa e eu assisti tudo do outro lado, vi cada detalhe e não podia dar em outra coisa, foi paixão na certa. Desde então carrego meu Leão querido no peito.

 Sem contar às vezes que tietei o Maisena. Ele frequentava em alguns domingos a mesma igreja que eu, eu achava o máximo e dizia pra TODO MUNDO que o Maizena era da mesma igreja que eu, era meu orgulho na época rsrsrsrs

Meu avô, não sei se pela idade, não tem mais animo pra ir ao estádio, minha família foi sempre muito conservadora e eu não podia sair sozinha, nem com amigos… de maneira alguma, ir ao estádio com todo o perigo que a mídia alarma? Jamais, só me liberavam se fosse com os meus tios, como me recusava a ir pro lado alvinegro tinha que me conformar com a TV ou rádio, mas sempre fui muito determinada e nos anos seguintes não deixaria barato os anos que me deixaram fora dos estádios. Paralelo a minha paixão pelo FEC outra paixão cresceu em mim – a dança – o ballet é um dos grandes amores da minha vida, não sei expressar como amo e o que eu sinto quando danço.

Jamais imaginei ser uma líder de torcida, um dia vagando pelo velho Orkut achei o perfil das Leoninas, como eu fazia ballet achei que poderia dar certo e ser útil para o grupo. No começo tive receio de me inscrever, mas graças ao apoio da minha irmã enviei minhas fotos, fui aos ensaios e não pude ficar por conta das aulas. Quando deu uma aliviada na faculdade voltei aos ensaios e minha estréia foi no emocionante FEC x CRB, haja coração.

Hoje entro em campo com muito orgulho, representar essa paixão é um enorme prazer. O FEC me proporciona momentos de emoção indescritíveis, me deu amizades pra vida toda e me faz muito FELIZ. Por isso carrego ele sempre no peito e o manto sempre na pele, seja no estádio, em uma manifestação em Brasília, onde for, onde meu coração estiver, o Fortaleza estará!

Depoimento de uma Leonina: BRUNA RAMOS

Image

Há dez anos eu descobria o que era futebol. Começava a me perguntar o porquê que 22 homens correndo atrás de uma bola era tão interessante, o porquê que aquilo mexia tanto com as pessoas. Até então, pra mim, futebol se resumia a times do sul-sudeste.

Mas um certo dia, no ano de 2002, conversando com meus amigos da escola (para não ficar fora do assunto) já que todos discutiam quem era o melhor time do estado, eu falei que torcia Fortaleza! Pois é, gostaria muito de ter conversado antes sobre esse assunto, essa minha afirmação “EU SOU FORTALEZA” foi bastante impactante na minha vida.

Comecei a pesquisar a história do clube, a história do time considerado o “maior rival” e quanto mais procurava mais me sentia Fortaleza Esporte Clube. Em nada a história do nosso rival mexeu comigo. As palavras do meu irmão tentando me convencer a torcer para o Ceará não balançavam nem um fio de cabelo meu. Sempre segui convicta que tinha feito a melhor escolha de time.

Até então nunca tinha ido a um estádio, pois não podia ir sozinha, meu pai mesmo torcendo Fortaleza nunca gostou de ir a estádio. Foi então que no ano de 2008 meu cunhado, também torcedor do maior time do estado, me levou ao estádio, meu primeiro clássico! Foi tudo muito mágico para mim, aquela torcida, aquele time que se mostrava e era superior… Então ficamos no empate 1×1 naquela tarde de 27 de janeiro. Placar esperado já que se tratava de um clássico. Desde então eu e meu cunhado não perdíamos um jogo. Infelizmente não fui a final contra o Icasa, pois era no mesmo dia da minha Primeira Eucaristia. Mas a tristeza de perder o jogo decisivo foi superada, pois meu querido e idolatrado Fortaleza Esporte Clube venceu por 4×2 o time do Icasa.

Não me arrependo de nada que tenha feito para ver o meu Fortaleza jogar. Tudo que passei e passo ao lado dele, me mostram que qualquer coisa que eu faça jamais retribuirá a alegria que ele me dá quando me deixa gritar no estádio a expressão que qualquer torcedor sempre quer falar ao final de um campeonato “É CAMPEÃO”! Só tenho a agradecer a Instituição Fortaleza Esporte Clube por me deixar fazer parte dessa história, por me permitir, depois desses anos apoiando o time da arquibancada, animar a maior torcida do estado dentro de campo como Leonina.

Saudações Tricolores querida nação!

Depoimento de uma Leonina: HELLEN BRITO

Image

Bom, a relação entre o Fortaleza e eu começou bem antes do meu nascimento. Meu avô era um torcedor fanático, porém pela vida dura que tiveram, passou grande parte da vida ouvindo o jogo pela rádio e minha mãe, desde pequena, ficava escutando junto dele, aí dessa forma ele passou a paixão para ela. Por sorte meus pais não me “obrigaram” a escolher um time, porque a aliança deles foi feita entre uma tricolor e um alvinegro. Depois de uma certa idade eu simplesmente me considerei Tricolor de aço, assim do nada. E foi mesmo do nada. Porque meus amigos, grande maioria, não partilhavam desse amor em três cores e sempre tentaram me induzir a acreditar em outro sentimento. No qual nunca conseguiu aflorar. Incontáveis vezes que recusei ir ao estádio com bandeiras de duas cores. Incalculáveis vezes que ligações eram perdidas, que mensagens não eram respondidas e convites não eram aceitos. Assim passei a seguir o Leão, do qual não me arrependo até hoje.

As pessoas perguntam como eu comecei a gostar do Fortaleza, porque, quem me incentivou. Mas elas teriam as respostas se eu perguntasse por que elas amam os pais? Os irmãos ou os amigos? O Fortaleza, para mim e para muitos torcedores, é um ente querido, alguém que não se pode abandonar. Mas confesso que o amor “a primeira vista” foi pelas cores: vermelho, azul e branco, que me fascinaram.

Alguns se aproximam do time por que as vitórias são consecutivas, porque um time que entra em campo certo de que vai ganhar é melhor do que torcer por outro que vem perdendo desde o começo do campeonato. Pois eu digo que a primeira vez que tive contato próximo mesmo, foi em 2006 quando perdemos o tetra. Lembro que eu ainda não tinha nenhuma blusa do Fortaleza e eu perturbei a minha mãe, que na época fazia crochê, para fazer uma tricolor. Bom, deu trabalho, mas ela fez. Sentei na frente da Tv ciente que ganharíamos mais aquele titulo. Decepção. Chorei por horas. Até que um vizinho engraçadinho soltou fogos. Desde aquele dia, não consegui mais tirar da cabeça que muitos existiam para derruba-lo e que eu, como muitos que hoje existem, éramos encarregados de ajudá-lo a vencer novamente.

E com o presente divino, consegui fazer parte do grupo “Stellas”. Realização de um sonho, poder acompanhar o Fortaleza tão de pertinho. Fiz amizades, concretizei sentimentos e a cada dia passei a amar mais, incondicionalmente, as três cores que carrego comigo desde criança. Presenciei vitórias emocionantes, derrotas amargas, viradas históricas. Tive que dar “a cara a tapa” a cada coreografia nova, a cada pirâmide difícil, a cada vaia da torcida rival. Mas tudo isso valeu a pena e vale até hoje. E se alguém me perguntasse, se me arrependo de algo que fiz para ajudar ou melhorar o Fortaleza, essa pessoa teria a resposta imediata: “Não, cada segundo, cada escolha, cada momento, foram únicos. E nada no mundo compraria ou se compararia ao que sinto por esse universo tricolor.”.

Hoje como “Leonina” resumo um pouco da minha história com o maior e mais bonito clube de futebol cearense. Obrigada.

Olá, Maior do Estado!!

Criamos este blog oficial com intuito de deixar registrado nossas histórias, vivências, depoimentos do dia a dia de uma Leonina. Queremos nos aproximar ainda mais da torcida. Aqui, você ficará sabendo  a relação de cada Leonina com o Fortaleza Esporte Clube. Vamos mostrar que até chegar a uma coreografia bem elaborada, suamos muito. Cobramos demais de todas da equipe.

Você poderá ler, tudo que acontece nos bastidores. Todas expectativas, angústias, alegrias e resiliência. Por que somos Leoninas. Carregamos a tradição de um clube de 93 anos. Somos fortes, bravas e destemidas. Somos FORTALEZA ESPORTE CLUBE.

SAUDAÇÕES TRICOLORES

Vanessa Alencar
Coordenadora das Leoninas

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.